Missão

Pastoral Universitária


José Antonio Sousa Alves
Assessor de Pastoral Universitária da PUC-SP(*)

A pastoral Universitária, como toda pastoral, tem como finalidade primeira e última a ação evangelizadora. Isto é, o anúncio da boa nova de nosso Senhor Jesus Cristo. Daí, muito mais do que uma presença da Igreja no meio Universitário, o serviço de Pastoral, conforme diz o Documento da CNBB, Diretrizes e normas para as Universidades Católicas, em seu artigo 39. (documento 64), se insere no Projeto Salvífico da Igreja e se traduz na expressão legítima do direito e do dever da Universidade Católica em colaborar com esse projeto junto à comunidade universitária. Neste sentido, configura-se como "parte integrante e indispensável da vida e estrutura da instituição". Contudo a Pastoral universitária não constitui uma ação externa da Pastoral da Igreja dentro da Universidade, mas é uma atividade decorrente da missão e identidade da própria Universidade Católica. Por isso mesmo, de acordo com o que se elabora a norma da CNBB: "Em cada Universidade, e organicamente incluída na sua estrutura, haverá uma divisão responsável pela ação pastoral universitária..." (DNUC Art. 41). Com efeito, a Pastoral Universitária, como afirma a constituição Apostólica Ex Corde Ecclesiae, "é aquela atividade da universidade que oferece, aos membros da própria comunidade, a ocasião de coordenar o estudo acadêmico e as atividades para-acadêmicas, com os princípios religiosos e morais, integrando assim a vida com a fé" (§ 38). Princípios religiosos e morais, esses que devem estar em absoluta "comunhão com a Igreja Universal e a Santa Sé, com a Igreja particular em que atua e seu bispo diocesano" (DNUC Art 13.).Todavia, entendida desta forma, a Pastoral Universitária tem esse movimento de estar com o pé fincado na comunidade interna da Universidade, mas também em estreita sintonia com as demais ações da Igreja que acontecem para além muro do meio acadêmico. Com efeito, além do que já foi dito a respeito do que compete a Pastoral Universitária, é também parte do seu rol de ações, animar, dinamizar e despertar uma vivência e convivência de fé nos membros da comunidade acadêmica de maneira que possibilite uma integração com o seu todo. Entretanto, urge dizer que isto pressupõe, entre outras coisas, uma espécie de articulação que envolva, além das mais variadas diferenças, que se potencialize e se estabeleça uma relação dialógica entre conhecimento, Fé, razão e religião. Nessa perspectiva, vale dizer que a irrupção desse pressuposto só pode se tornar factível desde que as diferenças, em primeiro lugar, sejam encaradas e reconhecidas como o são e em seguida, numa atitude de abertura, tolerância e respeito, traçar caminhos para uma jornada comum, mesmo que seja apenas naqueles pontos em que se comunga do mesmo sentimento. Neste sentido, fica evidente que não é necessário que se tenha convergência em todos os âmbitos, aspectos ou pontos de vista em qualquer que seja o assunto. Como por exemplo, no que diz respeito à questão da relação entre a fé e a razão. Como é sabido, uma coisa não se opõe e nem tão pouco se sobrepõe à outra. Diríamos: se complementam. Ou melhor, como diz o Papa João Paulo II no Documento Fides et Ratio , "a fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade". Em suma, uma pastoral inculturada na vida universitária capaz de dialogar com seu modus vivendi: aberta às diferenças dos saberes, das visões de mundo, das concepções políticas, ideológicas, religiosas e culturais.

Missão da Pastoral


O que denominamos de missão da Pastoral Universitária é precisamente o fazer. A concretização, a práxis. Numa palavra, a realização em todos os seus campos ou áreas de atuação do seu plano de trabalho. Claro, elaborado a partir das exigências, apelos e necessidades do contexto em que se está situada, no nosso caso, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Porém, essa referida práxis, tem como fonte a mensagem de Jesus Cristo, a partir da qual, são iluminadas as suas ações. Diante disso, o Anúncio da Boa Nova se desponta, não somente como uma forma de se demonstrar a verdadeira identidade em termos confessionais religiosos da Universidade, mas, principalmente, como um princípio orientador no desdobramento de tudo aquilo que lhe compete executar. Assim, pode-se afirmar que a missão da pastoral Universitária consiste, entre outras coisas, no Anúncio do Evangelho de Jesus por meio das mais variadas atividades e pessoas com as quais interage e inter-relaciona. Portanto, a missão a que se destina e tem por finalidade e razão de ser a Pastoral Universitária em âmbito interno da academia, é a de se utilizando de métodos, recursos, estratégias procurar compor e somar forças com o maior número possível de seus membros, sejam eles professores, alunos, funcionários e ex-alunos, calcada nos princípios, valores e moral do cristianismo católico apostólico romano, mas aberta ao diálogo, a interação e interface com a pluralidade cultural, a religiosa e a dos saberes.

(*) José Antonio Sousa Alves é Assessor de Pastoral Universitária da PUC-SP.

Conecte-se à PUC-SP